983706779

quarta-feira, 25 de maio de 2011

9 mitos sobre redes sociais

Fonte: Google Imagens
Com o crescimento das mídias digitais e das redes sociais, muitos erros aconteceram e alguns até foram noticiados. Grandes marcas, que viram os concorrentes nas redes, entraram de cabeça nesses canais e – sem o conhecimento devido – cometeram equívocos. 

Muitas empresas que estão hoje nas redes sociais ainda não entendem o que é mito e o que é verdade. Um exemplo é que algumas pensam que investir nesses canais é grátis. Outras, por outro lado, acreditam que não há como definir o conteúdo disponibilizado e que, por isso, o Twitter, Facebook e outros representam um perigo.
 

Portanto, leia agora 9 mitos sobre as redes sociais:
 
Mito 1: Meus clientes não estão nas redes sociais
Esse mito eu escuto o tempo todo, mas ao mostrar as pesquisas recentes do Ibope Mídia, onde o Orkut foi a porta de entrada para a Internet no Brasil e cerca de 60% dos usuários de Internet, sejam eles da classe AB, C ou DE, usam as redes há três ou mais anos, fica fácil comprovar o contrário. Redes sociais são um fenômeno cultural e não há mais volta.
 
Mito 2: Eu não consigo medir o impacto da mídia social em meu negócio 
O retorno sobre investimento nas mídias sociais realmente gerou bastante discussão nesse último ano. Mas, a grande verdade é que as marcas / empresas estão confundindo as métricas de engajamento com as métricas financeiras, e acabam ocasionando esse sentimento. Número de fãs no Facebook, seguidores em Twitter, entre outros, são métricas de engajamento que por sua vez poderão influenciar uma métrica financeira como vendas, número de clientes, número de atendimentos, etc. Somente algumas ações diretamente ligadas a vendas poderão ter um ROI medido, caso contrário, as ações no geral só tratarão de marketing e relacionamento.
 
Mito 3: Eu não tenho tempo para gerenciar as mídias sociais
Aprender a interagir nas redes sociais é algo muito fácil, porque no geral é saber se envolver em conversas com pessoas e filtrar o que é relevante para suas vidas. O desafio maior é sempre postar conteúdo relevante e isso muitas vezes requer tempo. A estratégia mais inteligente é trabalhar com a Inteligência coletiva e contribuições da rede. Isso já criará o engajamento mínimo necessário. Feito isso, você pode usar algumas ferramentas úteis como o HootSuite ou o Ping.fm para gerenciar múltiplos perfis numa única interface.
 
Mito 4: Se eu entrar nas mídias sociais pode chover de comentários negativos 
Ninguém gosta de ouvir ou ler comentários negativos sobre sua empresa. Essa é a maior preocupação de todos os grandes negócios. Principalmente quando os concorrentes querem boicotá-los no mercado. Entretanto, a beleza das mídias sociais é a transparência e responsabilidade. Caso alguém reclame, você tem a chance de responder e demonstrar ao mercado sua versão. As pessoas são inteligentes e saberão discernir um baderneiro de um consumidor regular. E mais, mesmo que a sua empresa não esteja nas mídias sociais de forma oficial, seus consumidores com certeza já estão, independente da sua decisão.
 
Mito 5: Midia social é de graça
Muitos pensam que entrar nas mídias sociais é fácil como um estalar de dedos e que não vai custar nada, já que tudo que está na Internet é de livre uso. Porém, é necessário entender que para entrar de forma correta e não dar um tiro no próprio pé, é necessário investir em planejamento digital, norteando as ações e servindo como um road map de pelo menos 12 meses. Cada ação envolverá criação e tempo de alguém: ou seja, tempo é dinheiro.
 
Mito 6: A senha é pessoal e intransferível
A senha virou quase de domínio público com o advento da função "connect via" e dos milhões de sites e aplicativos que solicitam nossa permissão para compartilhar informações. Quando digitamos a senha do Gmail no Facebook para encontrarmos amigos, estamos dizendo ao Facebook que faça o que quiser com ela. Sei que eles garantem não fazer uso indevido disso, mas a verdade é que nós escolhemos entregar nossa, antes pessoal e intransferível, senha.
 
Mito 7: O estado terá o controle de tudo o que fazemos, falamos, ouvimos etc. através de equipamentos ultra-modernos de vigilância
Nada disso será preciso e o grande irmão não será o Tio Sam. As redes sociais e seus milhares de servidores criaram uma nova discussão para a próxima década, a criação de mega-servidores que armazenem em comum todas as informações que disponibilizarmos nelas. Ao invés da nuvem, um lugar palpável onde, sim, estado e empresas terão acesso a tudo que escolhermos compartilhar. E até lá, provavelmente tudo será compartilhado. Inclusive com a promessa de privacidade e segurança total de informações e senhas.
 
Mito 8: Há hoje uma grande preocupação com a privacidade das informações que disponibilizamos nas redes sociais e os Twitters e Facebooks são responsabilizados pela segurança desses dados. Somos nós que escolhemos o que tornamos disponíveis na nuvem. De fotos e detalhes particulares de nossas vidas até números de telefone, passando por emails e inclusive senhas.
 
Mito 9 : As gerações Y e Z não compreendem nossos conceitos de propriedade intelectual.A verdade é que Babyboomers e geração X fazem isso há decadas. Quem nunca pegou emprestado de um amigo um LP ou CD para fazer um coletânea em fita? Ou ligou dois vídeocassetes para copiar um filme da locadora? Ou ainda gravar músicas e filmes direto do rádio ou da TV? Hoje vamos remotamente à casa de "amigos" espalhados por todo o mundo. Ou melhor, temos um grande amigo em comum, a internet.
 
Por Rafael Kiso, diretor de novos negócios e sócio-fundador da Focusnetworks

Fonte: ADNEWS
Postar um comentário
UA-15674926-13