983706779

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Brasileiros organizam nas redes sociais o 'Dia da Indignação'

Na internet, cidadãos se articulam para reagir, no Sete de Setembro, contra o mar de corrupção que inunda o país

POR OSWALDO VIVIANI

No último dia 7 de julho, o correspondente no Brasil do jornal espanhol El País indagou, num artigo brilhante: “Por qué Brasil no tiene indignados?” (veja na íntegra nesta página). Arias não entendia a razão de os brasileiros – diante de um mar de corrupção, principalmente na esfera política – não ocuparem as ruas e praças do país para protestar contra os desmandos. “O país está calado diante da corrupção. Os únicos capazes de levar para a rua até 2 milhões de pessoas são os homossexuais, os seguidores das igrejas evangélicas e os que pedem a liberação da maconha”, escreveu o jornalista espanhol.

No próximo dia 7 – exatamente dois meses após a publicação do artigo do perplexo Juan Arias –, os brasileiros devem mostrar que não estão tão apáticos assim em relação aos escândalos de corrupção em série no país, que envolvem políticos, em especial, mas também atingem empresários e banqueiros.

Pelo que se vislumbra nos protestos marcados nas redes sociais da internet – adotadas definitivamente pelos “conspiradores” do século 21 –, o Dia da Independência vai virar “Dia da Indignação”.

Centenas de manifestações no Sete de Setembro estão sendo articuladas no Facebook, a rede preferida dos “revoltosos”. Somados, os internautas que traduzem sua indignação no Facebook passam de 100 mil, sinalizando que muitos dos que antes apenas se expressavam irritados, nas áreas nos sites destinadas aos comentários das notícias sobre corrupção, agora mostram disposição em partir para ações mais efetivas de combate aos corruptos.

Veja o calendário dos protestos marcados em todos os 26 estados, mais o Distrito Federal, em: http://brasilmaisetico.wordpress.com/calendario-geral-de-manifestacoes/

No Maranhão, as manifestações estão sendo articuladas em:

NASRUAS.MA (Twittter); https://www.facebook.com/groups/nasruas.ma (Facebook); e http://www.whatis-theplan.org/t3537-rmaranhao-ma (Forum).

Principais protestos – A voz rouca dos indignados organizados na internet será ouvida, por exemplo, na “Marcha Contra a Corrupção em Brasília”, que já tem quase 15 mil adesões no Facebook.

“A absolvição da deputada Jaqueline Roriz [PMN-DF, flagrada num vídeo, em 2006, recebendo R$ 50 mil do “mensalão” do DEM para o caixa 2 de sua campanha eleitoral], fez o nosso movimento explodir. Sabemos que nem todos os que confirmaram presença vão poder ir, mas esperamos reunir pelo menos 10 mil pessoas no protesto”, disse o empresário Walter Magalhães, de 28 anos, que com mais duas amigas organiza a marcha em Brasília – que pretende ser pacífica e apartidária.

Os participantes da marcha devem se reunir às 9h do dia 7 de setembro no Museu Nacional. A ideia, segundo os organizadores, é seguir em passeata até o mais próximo possível do palanque onde ficarão os políticos que vão assistir à parada militar.

Já o movimento “O Brasil de Luto – Reação contra a Corrupção” –, que contava até ontem (3) com mais de 20 mil adesões de vários estados do país, pede que toda a população se vista de preto ou com nariz de palhaço no Sete de Setembro para mostrar sua indignação contra os corruptos e a impunidade no país.

“Todo escândalo mexe com a nossa vontade de reagir. Nosso movimento cresce no ‘boca a boca’. Mais de 80 mil pessoas receberam convites do protesto pelo Facebook”, informou a empresária Ilze Papazian, de 44 anos, organizadora do protesto.

Outra “conspiração” em andamento no Facebook é o movimento “Todos Juntos contra a Corrupção”, que já conseguiu mais de 20 mil confirmações de presença para o ato de protesto no dia 20 de setembro, na emblemática Cinelândia, no Rio de Janeiro.

São Paulo também dirá não à corrupção, com nada menos do que quatro atos de protesto no vão do Museu de Arte (Masp), na Avenida Paulista. Num deles, desfilará a escola de samba “Unidos Contra a Corrupção”. Prevê-se o comparecimento de 18 mil pessoas nas manifestações paulistanas.

Postar um comentário
UA-15674926-13