983706779

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Com 30 milhões de usuários no Brasil, Facebook expõe crescimento das redes sociais

A informação é de uma pesquisa do Ibope, que também afirma que o Facebook superou em tráfego o Orkut já em abril, que reinou como rede social dos brasileiros por mais de seis anos.
Facebook conseguiu superar o predomínio que o Orkut tinha no Brasil, segundo pesquisa do Ibope. 
Facebook conseguiu superar o predomínio que o Orkut tinha no Brasil, segundo pesquisa do Ibope.
                 Foto: Nathalie Brasil
Manaus - Com pelo menos 700 milhões de usuários em todo o mundo, o Facebook deixou o Orkut para traz em número de adeptos na última semana, quando o primeiro marcou 30 milhões de usuários, contra 27 milhões do segundo no Brasil. A informação é de uma pesquisa do IBOPE, antecipada pela revista Isto É, que também afirma que o Facebook superou em tráfego o Orkut já em abril, que reinou como rede social predileta dos brasileiros por mais de seis anos. Nem o Ibope, nem o Facebook divulgaram os números regionais de usuários.

Longe de ser passatempo, as redes sociais veem ganhando cada vez mais visibilidade acadêmica e social, em alguns casos, são personagens principais da construção da nova história do mundo, como, por exemplo, no início dos protestos na Líbia, Tunísia e Egito. Noutros pontos, podem ser passaporte para um novo emprego, ou até mesmo a entrada no mercado de trabalho.

"É importante cultivar essas redes como instrumento, inclusive, de democracia, favorecendo a participação de jovens e outras lideranças no processo", explica o professor de Ciências Políticas da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Ademir Ramos.

Para a presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos no Amazonas (ABRH-AM), Elaine Jikings, as redes sociais viraram fontes de consultas para ajudar na avaliação de candidatos. De acordo com a presidente, entre as mais utilizadas, por nível de importância, são LinkedIn, Facebook e Twitter.

"A coisa mais poderosa que uma pessoa tem para oferecer à uma empresa é sua rede de relacionamentos. Existem problemas que ela não pode resolver, mas que muitas vezes a solução está na mão de quem ela conhece", comenta.
Como dica, ela diz que os usuários devem ter no mínimo bom senso ao utilizarem as ferramentas, já vi muita gente se queimando com comentários infelizes, uma vez que nunca se sabe quem vai acessar isso do outro lado. Por ser uma ferramenta ainda muito nova, as pessoas ainda estão aprendendo no ensaio e erro".

Migração
O escritor Rafael Ramos, 24, se diz um “viciado” em redes sociais, e acompanhando a maioria dos brasileiros, trocou recentemente o Orkut pelo Facebook. “O Orkut começou a ficar meio parado, as pessoas não atualizavam mais as suas páginas. Então conheci o Facebook, e o achei mais interativo", disse.

O mesmo pensamento levou a estudante de Relações Públicas, Jaqueline Cabral, 21, a mudar. Há um ano e meio utilizando o 'Face', ela diz que encontrou mais organização, praticidade e agilidade no novo site. Por outro lado há quem não larga o Orkut, caso do publicitário Fabrício Neto, 33, para ele o Facebook ainda não agregou uma das diferenças do Orkut, as comunidades. "Se um dia houver essa função eu até penso em migrar de vez, mas enquanto isso mantenho minhas discussões no velho Orkut de guerra", disse.

Fonte: D24am
Postar um comentário
UA-15674926-13