983706779

sábado, 17 de setembro de 2011

Rede social usada na venda de dados dos aposentados

Informações de segurados do INSS são comercializadas até por meio de perfil no twitter

POR ALINE SALGADO

Rio - Ferramentas digitais da Internet, como twitter e linkedin, também vêm sendo usadas para facilitar a venda de dados sigilosos de aposentados e pensionistas do INSS, prática denunciada em série de reportagens iniciada no último domingo, em O DIA. Aproveitando-se da eficiência no contato com o público que as redes sociais e microblogs oferecem, a empresa mineira Infortexto comercializa, on-line, listas com nomes completos, CPFs, endereços residenciais, telefones e até números de benefícios dos segurados. Escritórios de advocacia e pequenas financeiras de todo o País em busca de clientes são alguns usuários.

Foto: Reprodução da Internet
A ação é simples: a empresa cria páginas nesses sites — os perfis — e adiciona usuários que tenham os mesmos interesses. Informações como anúncios e ofertas de produtos também são enviados aos colegas virtuais que compartilham o espaço na Internet.
O grupo chega a vender listagens com dados sigilosos de segurados da Previdência Social por preços que variam de R$ 1.065, pelo pacote com 2 mil endereços, até R$ 4.305, por 10 mil endereços. Após denúncia de O DIA, o Ministério da Previdência Social informou que vai investigar a atuação da empresa junto com o Ministério Público Federal e a Polícia Federal.

Sindicato protesta aos pés do Cristo

Aposentados e pensionistas do INSS se reúnem hoje à tarde, aos pés do Cristo Redentor, para manifestação contra o veto da presidenta Dilma Rousseff à concessão de reajuste real a segurados que ganham acima do piso previdenciário. O projeto, do senador Paulo Paim (PT-RS), foi aprovado pelo Congresso. No entanto, em 15 de agosto, a presidenta tirou a proposta do Projeto de Lei Orçamentária 2012.

“Esta será a campanha ‘Só Cristo para iluminar a mente dos governantes e abençoar os aposentados’”, disse o presidente do Sindicato dos Aposentados e Pensionistas da Força Sindical, João Batista Inocentini. No local, são esperados mais de 200 aposentados. Além do protesto, será realizada missa.

Passo a passo na investigação

A VENDA
Após diversas tentativas, repórter de O DIA, fazendo-se passar por cliente, entrou em contato com o site que oferece as listas de endereços dos aposentados. Para se proteger, a empresa só se apresenta de maneira virtual, por meio de e-mail ou contato por chat, no twitter ou linkedin. A reportagem gravou conversa com a representante do portal Infortexto e obteve, sem comprar os dados, detalhes da operação.

PENAS LEGAIS

Advogado e professor de Direito Constitucional, Carlos Eduardo Guerra explica que a venda de dados sigilosos de segurados do INSS é uma infração à Constituição, que preserva o direito à privacidade dos cidadãos.

“Uma vez descoberto, tanto quem compra quanto quem vende esses dados têm responsabilidade civil e penal. O simples uso da informação já é crime. Quando aplicado para fins ilícitos, como abertura de contas bancárias e empréstimos, por exemplo, agrava ainda mais a situação dos envolvidos”, explica.

Fonte: Terra
Postar um comentário
UA-15674926-13