983706779

sábado, 19 de maio de 2012

Algoritmo do Google pode ajudar na cura do câncer


 Cientistas usam método de algoritmo do Google aplicado ao diagnóstico de câncer. Foto: Reuters
Cientistas usam método de algoritmo do Google aplicado ao diagnóstico de câncer
Foto: Reuters

O site de buscas Google usa algoritmos matemáticos especiais que o ajudam a rastrear billhões de páginas na internet e depois organizá-las em algum tipo de ordem. Esses mesmos algoritmos agora estão sendo usados por pesquisadores da Universidade de Tecnologia de Dresden, na Alemanha: eles estão aplicando as fórmulas para mapear a "rede" do corpo humano e rastrear biomarcadores que podem revelar informações importantes sobre a propagação de cânceres.

Segundo o site Mail Online, os cientistas modificaram o algoritmo do Google para usá-lo com o fim de encontrar novos biomarcadores de câncer, que são móleculas produzidas por células cancerosas. O que se espera é que o método possa identificar rapidamente as proteínas que avaliam o quão agressivo um tumor pode ser, e ajudar os médicos a decidir quando ministrar quimioterapia ou não.

Biomarcadores também são úteis para detectar câncer em fluídos corporais e em tecidos coletados em operações e biópsias. Os pesquisadores tem que considerar mais de 20 mil proteínas dentro do corpo humano, e descobrir a relevância genética delas para a progressão de um câncer de pâncreas, por exemplo. Mas até agora encontrar estes biomarcadores é difícil e consome tempo - e os marcadores variam de acordo com cada câncer, apresentando diferenças até mesmo para os mesmos tipos de câncer.

Os pesquisadores decidiram empregar os métodos já testados do Google por serem eficazes em rastrear bilhões de informações e seguir hiperlinks para sua conclusão natural antes de reportar o resultado ao site de buscas. É uma analogia similar à do corpo humano, com todas as proteínas de uma célula conectadas através de uma rede de interações fisiológicas.

Um dos resultados foi a descoberta de uma proteína que pode ajudar a diagnosticar o quanto pode ser grave o cancer de pâncreas de um paciente específico. Os cientistas estão agora trabalhando junto à empresa de biotecnologia RESprotect, que está realizando testes clínicos para um medicamento para tratar o câncer pancreático.

Postar um comentário
UA-15674926-13