983706779

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Redes “anti-sociais” se espalham na internet

Na era em que tudo está on-line, cresce o número de sites restritos a apenas um punhado de amigos
Family Leaf é um exemplo de rede restritaReprodução

Redes sociais não são uma ideia nova, mas pequenas empresas de tecnologia têm demonstrado que há muito mercado nesse setor - especialmente se a ideia é não ser tão social.

O “The New Yor Times” listou iniciativas inspiradas no Facebook (o maior site de relacionamentos do mundo), mas com o objetivo oposto: restringir os laços virtuais de amizade.

Uma delas é o FamilyLeaf, uma rede social só para a família. Com ela, dá para compartilhar aquela foto do tio vestido de mulher sem causar constrangimentos para ninguém.

Outro serviço com essa pegada é o Path, uma rede disponível apenas no smartphone (iOS e Android). O sistema do Path permite que o usuário adicione até 150 amigos.
O número foi escolhido com base no estudo do antropólogo Robin Dunbar. Analisando ligações neurológicas e sociais, ele determinou que ninguém consegue manter mais de 150 amizades. Nos EUA, cada usuário do Facebook tem, em média, 245 amigos.

Finalmente, há o Pair, uma rede social de uma pessoa só. O foco do Pair são casais, que podem trocar fotos, mensagens e até se “beijarem”, encostando o dedo na tela e fazendo com que o aparelho do parceiro trema.

Band
Postar um comentário
UA-15674926-13