983706779

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Site de streaming de música Deezer chega ao Brasil

Interface do Deezer (Reprodução) 
por Renata Honorato

O serviço francês de streaming de música Deezer dará início às operações no Brasil nesta quinta-feira. Com a estreia, os usuários terão acesso à biblioteca de mais de 20 milhões de faixas oferecidas em outros 160 países. Para usufruir de seu plataforma, uma das maiores do mundo, os brasileiros terão de pagar uma mensalidade de 8,90 reais a 14,90 reais. Em oferta promocional de lançamento, o Deezer oferecerá seis meses de acesso grátis via web e um mês via smartphone. 

O aplicativo para celulares, disponível para iOS, Android e Windows Phone, faz parte do pacote Premium+ (o mais caro) e permite aos usuários escutar músicas mesmo quando desconectados da internet. 

Embora seja oferecido em outros países na América Latina, os franceses optaram por uma operação mais ampla no Brasil, com a abertura de um escritório local. 

O francês Mathieu Le Roux é quem comandará a sede latino-americano. Segundo o executivo, o país faz parte da estratégia global da companhia, que investe em regiões emergentes e com grande potencial de crescimento. O lançamento vai além da tradução do sistema e opções de assinatura. "Estamos conversando com operadoras de telefonia móvel para oferecer nosso aplicativo como vantagem em pacotes de serviços. Também teremos o recurso de páginas verificadas que, além de música, oferecerá conteúdo exclusivo disponibilizado pelo próprio cantor ou banda", explicou o diretor geral. 

O Deezer tem 3 milhões de assinantes em todo o mundo. Entre as apostas da plataforma está a integração do serviço às redes sociais. Além de permitir que um usuário siga perfis e colecione álbuns, o sistema oferece ferramentas de compartilhamento via Facebook ou Twitter. Um usuário do serviço pode, por exemplo, recomendar músicas, rádios e playlists à lista de contatos de suas redes. 

Para oferecer um grande catálogo de músicas e gêneros, o Deezer mantém acordos com gravadoras, empresas de gestão de direitos autorais e mais de 2.000 selos independentes em todo o mundo. Entre os artistas brasileiros presentes na biblioteca do serviço estão Ivete Sangalo, Zezé di Camargo & Luciano, Maria Rita, Gustavo Lima, Marisa Monte, Caetano Veloso, Titãs, Mallu Magalhães, BNegão e Gaby Amarantos. 

Concorrência - O Deezer não é o primeiro serviço de streaming de música a apostar no Brasil. Atualmente, os consumidores têm à disposição outras plataformas digitais para o mesmo fim. É o caso, por exemplo, do Rdio, que possui uma parceria com a operadora Oi para oferecer um catálogo de mais de 18 milhões de músicas no país. 

Entre os concorrentes do serviço francês está o americano Grooveshark. Embora não possua escritório no país, oferece uma versão em português de seu sistema e assinaturas faturadas em dólar, que podem ser adquiridas por brasileiros por meio de um cartão de crédito internacional. 

Tendência - O mercado de streaming de música é um dos mais promissores do setor. Além de coibir a pirataria, o sistema remunera o artista de acordo com o número de vezes que sua música é executada. O modelo tem se mostrado mais eficaz do que a venda de música sob demanda e tem chamado a atenção das gravadoras, que apostam no segmento autorizando a inclusão de seus artistas no serviço. 

Segundo um levantamento divulgado pela empresa de métricas Strategy Analytics, o setor de streaming de música cresceu mais de 40% em 2012 em relação ao ano anterior. O mercado de downloads, por outro lado, registrou um crescimento de apenas 8,5% no mesmo período.

Postar um comentário
UA-15674926-13