983706779

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

WhatsApp pode não respeitar privacidade dos usuários


Autoridades de Canadá e Holanda, que cuidam de proteger informações privadas, acusaram durante a segunda-feira (28) o aplicativo popular de smartphones WhatsApp de fazer violação a diversas leis que tem relação com esta questão.

O Comissariado de Proteção de Privacidade no Canadá e a autoridade holandesa para proteção dos dados pessoais (CBP), realizaram uma investigação conjunta sobre o WhatsApp, que é um sistema de envio de mensagens instantâneas em smartphones.

Para utilizar este serviço do WhatsApp, os usuários têm que autorizar que o aplicativo possa acessar a agenda dos endereços. Os números de telefone no dispositivo móvel são enviados até o aplicativo para que facilite a identificação de outras pessoas que utilizam o programa.

O aplicativo não apaga o número dos usuários do programa, e leis do Canadá e da Holanda preveem que guardar informações deve ter um propósito que seja determinado. Apenas usuários com iPhone, da Apple, e software iOS 6 podem adicionar de maneira manual os contatos e evitar que os dados sejam coletados automaticamente.

O Comissariado e a CBP informaram ainda que no início da investigação, mensagens que eram enviadas através do aplicativo não tinham criptografia e poderiam ser interceptadas, especialmente quando eram enviadas através de uma rede Wi-Fi sem proteção. Apenas no mês de setembro do ano passado, o WhatsApp começou a criptografar as mensagens.

Conforme apontam as autoridades dos dois países, o WhatsApp cria senhas para que as mensagens sejam trocadas utilizando informação que tem associação com os dispositivos, e estas senhas podem ser reveladas de maneira bastante simples. Dessa forma, uma terceira pessoa poderia realizar o envio e receber os dados como se fosse um usuário sem que a outra pessoa saiba. O WhatsApp também alterou o seu sistema, e utiliza agora uma chave com maior segurança, que são geradas de maneira aleatória.

As entidades canadense e holandesa ajudaram na investigação depois que foi feita uma denúncia em 26 de janeiro do ano passado, porém apresentaram informes de maneira separada, conforme as leis que fazem proteção da privacidade nos dois países.

No mês de agosto, o WhatsApp anunciou pelo Twitter que superou apenas em um dia as 10 bilhões de mensagens compartilhadas através do aplicativo.



Postar um comentário
UA-15674926-13