983706779

domingo, 16 de junho de 2013

Qual foi a primeira rede social?



Caroline Ropero 
Do Diário do Grande ABC

O ClassMates (colegas, em inglês) é considerado a primeira rede social. Foi criado em 1995 pelo norte-americano Randy Conrads para reunir amigos da escola e faculdade. O serviço era pago, mas fez muito sucesso na época entre usuários dos Estados Unidos e Canadá. Existe até hoje.

Em 1997 surgiu o Six Degrees, de Andrew Weinreich, parecido com as redes sociais que conhecemos hoje: com envio de mensagens, publicação em murais e a possibilidade de adicionar contatos. Nos anos seguintes apareceram o Friendster (2002), que não funciona mais, e os famosos MySpace (2003), que permite compartilhar músicas e fotos, e o LinkedIn (2003), com o objetivo de reunir contatos profissionais.

No Brasil, a mania de ter amigos pela internet chegou com o Orkut (2004), que leva o nome do dono, o engenheiro turco Orkut Büyükkökten. No mesmo ano surgiu o Facebook, criado por Mark Zuckerberg e amigos da universidade. No começo, era apenas para alunos de algumas faculdades. Em 2006, foi liberado para qualquer pessoa (a partir de 13 anos).

Hoje, o Facebook é a rede social mais popular no mundo, com mais de 1 bilhão de usuários; 67 milhões só no Brasil. Em segundo lugar está o Google+, seguido pelo YouTube e Twitter.

A maioria destes sites não permite a participação de crianças. Segundo especialistas, durante a infância é difícil diferenciar publicações boas de ruins, já que os usuários podem compartilhar todo tipo de conteúdo. Além disso, não dá para saber se alguém que conheceu na rede social é quem você pensa.

Do sinal de fumaça à internet

Desde o início da civilização, o homem criou diferentes formas de comunicação. Na Antiguidade, por exemplo, era comum enviar mensagens a lugares distantes por pombos-correios. Já povos indígenas de vários países faziam fogueira e por meio da fumaça mandavam sinais para avisar a tribo sobre a aproximação de inimigos.

A partir do século 19, novos meios de comunicação surgiram: o telégrafo (transmitia mensagens em códigos), telefone, telex (máquina grande que recebia e enviava recados), celular e internet.

Hoje, com as redes sociais, a comunicação está ainda mais rápida e diferente. A todo instante usuários postam textos, fotos e vídeos para informar, dar opinião e compartilhar ideias. Nunca foi tão fácil e rápido se comunicar e fazer novos amigos.

Saiba mais

Especialistas acreditam que, no futuro, as redes sociais tenham recursos como hologramas, cheiros e sabores para a gente se comunicar.

De cada 100 internautas entre 9 e 16 anos, 82 usam a web para fazer lição de casa e 68 para visitar as redes sociais, segundo estudo do TIC Kids Online Brasil 2012.

Gabrielle Adones Mendes, 10 anos, de São Caetano, adora navegar na internet. Quando pode, a garota acessa o Facebook da avó para jogar e conversar com os primos que moram longe. “Tenho horário certo para entrar na internet. Também uso para fazer pesquisas e trabalhos da escola”, afirma Gabrielle, que acredita ser chato viver sem computador. “Antes só dava para se falar por carta e telefone.”

Postar um comentário
UA-15674926-13