983706779

sábado, 26 de julho de 2014

Nova tecnologia pode aumentar em até 10 vezes a velocidade da internet


Embora alguns locais do mundo já apresentem conexões de internet extremamente rápidas, isso em breve pode parecer “brincadeira de criança”. Uma pesquisa conduzida por pesquisadores da Aalborg University, do MIT e da Caltech descobriu novas tecnologias que podem aumentar em até 10 vezes a velocidade máxima da rede de computadores e que devem ter um papel substancial no desenvolvimento das redes 5G.

A novidade se baseia no uso de nódulos de rede mais inteligentes e adaptáveis que podem substituir o protocolo TPC/IP, usado há mais de 40 anos. Os pesquisadores criaram um novo tipo de codificação que permite que o equipamento utilizado mude a rota de pacotes e modifique a maneira como eles são formados conforme as necessidades apresentadas.

Esses nódulos mais inteligentes também podem resultar no desenvolvimento de uma internet mais segura, já que isso teoricamente pode impedir a espionagem de dados. “Em experimentos com nossa codificação de tráfego de internet, fabricantes de equipamentos testemunharam velocidades entre 5 e 10 vezes maiores que o normal”, afirma Frank Fitzek, professor da Aalborg.
Vantagens sobre o TCP/IP

Segundo Fitzek, a tecnologia tem um amplo potencial e pode ser usada em comunicações de satélites, dispositivos mobile e através de computadores convencionais. Ao contrário do que acontece no TPC/IP, no qual é preciso receber pacotes na exata ordem em que eles foram enviados, a nova tecnologia permite que isso ocorra em qualquer sequência. A nova rede também não tem que lidar com atrasos de transmissão quando um pacote é perdido, e a característica aleatória da novidade evita o uso de ferramentas de espionagem.

 

“Acredito que essa tecnologia vai ser integrada à maioria dos produtos porque ela possui algumas funções cruciais e essenciais”, declarou Fitzek. “A única coisa que pode barrar seu desenvolvimento são as patentes. Anteriormente, companhias individuais tinham um controle grande sobre patentes relacionadas a códigos. Mas nossa intenção é tornar isso o mais acessível possível”, finaliza.

FONTE(S)
IMAGENS
Postar um comentário
UA-15674926-13