983706779

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Redes sociais se tornam importante ferramenta de recrutamento


Distância entre pessoas em busca de boas oportunidades e empresas à procura de bons profissionais ficou mais curta com as redes sociais.



As redes sociais ganharam importância não só para a vida pessoal. Cada vez mais as empresas usam essa ferramenta para encontrar profissionais. De outro lado, os candidatos também utilizam esse caminho para chegar até os recrutadores.

Foi-se o tempo em que os currículos chegavam ao RH das empresas no papel. Com a internet tudo mudou. Começou com o e-mail e chegou às redes sociais. Com elas, a distância entre pessoas em busca de boas oportunidades e empresas à procura de bons profissionais ficou mais curta.

Quando Juliana cadastrou o perfil profissional em uma rede social há três anos não imaginava que este seria o passaporte para um novo emprego. Por meio das informações que postou, a jovem de 26 anos foi descoberta por uma empresa de tecnologia da informação. Feliz com a oportunidade que recebeu há seis meses ela mantém o perfil on-line sempre atualizado.

“Mesmo já estando empregada em uma empresa que eu gosto. Meu currículo permanece lá, permanece atualizado, porque ele não é uma ferramenta somente para o meu marketing pessoal, mas também uma ferramenta profissional”, conta Juliana Ramos, gerente de contas.

A admissão da Juliana é resultado de uma reestruturação feita pela empresa há um ano para assumir a seleção de candidatos a vagas. Ao contar com as redes sociais como aliadas os processos seletivos passaram a custar menos e a qualidade das contratações melhorou.

“A gente teve uma redução no tempo de fechamento dessas vagas de 60%. O processo começou a ser muito mais assertivo do que até então era, com esse modelo tradicional. A gente pode submeter a filtros, identificar profissionais que estejam alinhados com as competências que a gente está buscando”, diz Sheila Nunes, gerente de RH da Finnet.

O uso das redes sociais por candidatos que procuram uma vaga e por empresas dispostas a contratar é cada vez mais comum. Na maior delas voltada a profissionais, o número de usuários saltou de 6 milhões em 2011 para 19 milhões em 2015 e 3,5 milhões de empresas estão cadastradas. Segundo o diretor da empresa, a ferramenta on-line transformou a indústria do recrutamento.

“Os recrutadores modernos vão atrás dos candidatos adequados. Eles fazem as buscas, eles veem aquele profissional que é melhor para a posição e vão atrás, como um profissional de vendas e marketing iria atrás do seu cliente. As empresas gostam de ter uma presença forte na rede para mostrar quem elas são do ponto de vista empregador”, explica Milton Beck, diretor do LinkedIn.

Postar um comentário
UA-15674926-13